segunda-feira, agosto 31, 2009

Renatinha!

Hoje a nossa querida Renata está fazendo anos.
E a gente, louco prá abraçar pessoalmente, mas não tem como, deixa aqui o recadinho, cheio de carinho.
Um dia super feliz, guriazinha!
Que sejas sempre iluminada e cheia de energia boa, que a tua vida seja uma sucessão de momentos lindos de lembrar e que saibas aproveitar cada um deles com toda a gana e alegria que te são peculiares.
Muita saúde, força, sonhos bonitos, AMOR em dose super, muitos amigos prá ter com quem beber muitas "cremosas" e dar a mão na hora em que for preciso, o colo quando der vontade, o abraço na hora certa e a vida toda cheia de oportunidades para viver plenamente.
Muita comemoração!
Um beijo cheio de carinho e o meu agradecimento especial por fazeres parte da nossa vida e por
seres esta pessoa tão querida e tão parceira.
Que tu e o Gabriel possam sorrir todos os risos, sempre juntos e felizes, como tem sido até agora.
A felicidade de vocês nos deixa muito felizes.
Parabéns, menina bonita!
Feliz Aniversário!

Nossa!


Não deve ser por acaso que este post é o nº 666.
Eu falei, o tal do Farm Ville do facebook é mesmo uma cachaça.
E anda causando estragos.
Ontem queimei um doce de maçãs, enquanto colhia as frutas da quinta, prá que não murchassem e me dessem prejuízo. Foi o tempo de sentir o cheiro e a fumaça já tomava conta da cozinha.
Portanto...muita cautela, gente.
Use com moderação.
Rárárá!
Tô falando...
Xô!

Praia!

E que dias lindos tivemos na Fonte da Telha, no final de semana.
Ensolarados e cheios de cor.
A Fonte da Telha é uma vila de pescadores, aqui pertinho de Lisboa, com um mar muito azul e onde se pode fazer grandes caminhadas. De manhã cedinho, bandos de gaivotas fazem a sua revoada e depois vão se enfileirar junto à praia, até um novo vôo, que pode ser a qualquer momento. Quando o dia avança e as pessoas começam a chegar com seus guarda-sóis coloridos e conversas animadas, elas somem no mar, para só aparecerem à noitinha ou no dia seguinte, muito cedo da manhã.
Adoro quando estacionamos a autocaravana mesmo à beira do mar e ali fincamos a casa, por três dias.
De janela aberta, a brisa do mar entrando, espiamos a praia e seus acontecimentos.
Não há como descrever.
À noite, o sono é embalado pelo barulhinho das ondas.
Não sei mais o que digo.
Não digo, mostro um pouco.






E o dia despede-se desta maneira. É preciso dizer mais?



quarta-feira, agosto 26, 2009

Farm Ville no Facebook

Nossa, isso é mesmo uma cachaça!
O povo todo tá viciado, não consegue parar.
Não sei quem inventou este jogo, mas é super bem bolado.
Pois é isso, viramos todos donos de "quintas" e só sabemos plantar, colher, recolher ovos, tirar leite, vender, comprar. É uma verdadeira função.

Quem tem facebook, passa lá e dá uma olhadinha.
A gurizada tá se saindo super bem

E a mim quase não dá tempo de vir aqui escrever...rssssssssss

Beijo, gente!

Pois é...

Não deu.
Empatamos com o Fiorentina lá em Florença, na Itália. A partida acabou há pouco, como as duas equipes empatadas em 1 gol.
Fica prá próxima.
Agora é pensar no Campeonato Nacional e na Taça UEFA. E já é bastante.
O Sporting hoje jogou super bem. Surpreendeu mesmo.
Mas não deu.
Não há de ser nada. Estamos prontos prá continuar torcendo.
Allez Sporting, Allez!

domingo, agosto 23, 2009

Apesar dos pesares...Allez, Sporting Allez!

Continuo torcendo pelo Sporting.
É aquela coisa bem visceral. Cheguei em Lisboa de time escolhido e acabei assumindo, assimilando. Depois disso, ficou entranhado, como se diz por aqui.
Virei fã.
Mas não cega.
Continuo dizendo:
Não entendo nada de futebol e este blog não é sobre bola.
Ainda mais sendo mulher, esta coisica tão insignificante, futebolisticamente falando.
Não é o que dizem?
Pois...
Mas arrisco alguns palpites e isso é absolutamente fruto da minha cachola.
Cresci ouvindo e vendo meu pai a ouvir, assistir e falar de futebol, diariamente. Sou colorada de carterinha, lá no Brasil, como ele foi. Depois convivi muitos anos com o futebol em Pelotas, Santiago e por tantas outras bandas, no tempo em que o Chico, pai de meus filhos (o termo ex-marido é tão sem significado) era jogador profissional. Jogava no Cruzeiro de Santiago, time em que por acaso começou o Polga a jogar futebol (ainda menino) e de onde o levaram para o Grêmio de Porto Alegre, antes ainda de vir defender o Sporting, aqui em Portugal.

Pois ouvia, prestava atenção aos comentários, observava as posturas. Enfim, não quer dizer que tenha sido uma escola do caraças, mas é como digo, a gente vai assimilando.
E não por acaso o Arsénio, com quem hoje compartilho sonhos (também acho sem significado dizer meu companheiro) é bem fanático por futebol, o que deve querer dizer que entende. Também foi jogador.

Mas calma, gente, é só a minha opinião.
Mais desabafo do que opinião.

O comentário é o de que, jogando tanto tempo juntos, deveriam jogar de olhos fechados, por música, uma vez que não houve grandes alterações na equipe para esta época. Matías Fernandez e Caicedo (que raio de nome é este? Mais sugestivo, impossível).
Pois...de resto, os nossos bons e conhecidos atletas leoninos, que já fizeram chover em outras competições.
Pois então, como eu dizia que ia dizer, cheira-me a barco à deriva.
O time anda sem personalidade, sem forças, não há nenhum jogador que puxe o time e o Paulo Bento parece estar desentusiasmado, desmotivado. Não consegue emocionar a equipe.
Lá no Brasil chamamos isso de RAÇA! Tesão.
Falta TESÃO à equipe como um todo.
E como diz o nosso Roberto Freire (e muito bem dito) sem tesão, não há solução, em livro que fala sobre libertar-se dos bloqueios.
À exceção, sejamos justos, do Miguel Veloso, que tem estado empenhado em mostrar o que sabe, dividindo, correndo, mordendo, em todos os cantos do relvado. E de mais alguns, eventualmente, em um jogo ou outro, mas o que não traduz um desempenho regular e muito menos eficaz, nem individual, nem coletivamente.
Com o Matías, pouco interagem. Tenho a impressão de que quando começarem a dar-se conta disso, talvez o time tenha resultados melhores. Acho um jogador inteligente, habilidoso, que faz bons lançamentos e arma algumas jogadas que poderiam resultar em bola na rede, mas não sei o que falta prá isso acontecer. Ele tem aquilo que eu chamo de explosão, mas ainda não se fez entender ou não está à vontade dentro da equipe. De qualquer forma, tenho muita esperança nele.

Queixam-se da arbitragem ( e não sem razão, há algumas que chegam a ser hilárias, um verdadeiro fiasco), mas isso não chega a ser determinante, a meu ver. Porque os outros vão lá (neste caso, vêm cá) e fazem o feijão com arroz.
O fato é que o Sporting...nem o feijão com arroz. Ou mais portuguesmente falando, não conseguem nem fazer o cozido, quanto mais um prato elaborado.
Falhas básicas, uma quantidade enorme de passes mal feitos, não há efetividade na defesa e a finalização não existe.
Não existe, gente! É sério! A bola não entra nem por decreto.
E agora deram com esta mania de tomar gol logo no início da partida.
Que dureza! Ou melhor, moleza!
Sem falar em algumas insistências do senhor Paulo Bento, que até para qualquer leigo (como eu) resultam gritantes.
Enfim...
Aí me dizem tratar-se de uma postura diferenciada. Que o Sporting prima por formar jogadores, vindos das categorias de base (como foi o caso de Cristiano Ronaldo, do Quaresma, do Nani).
Tá bem, acredito, louvo a atitude e a postura. É uma opção, pronto.
Formados estavam, formados (e muito bem) foram jogar em equipes maiores, Europa afora.
Mas e daí, nós, o que é que temos?
Como concorrer com um Porto da vida, uma esquipe super bem estruturada, com um Benfica que aposta todos os anos em tantos jogadores novos? Como disputar posições em campeonatos europeus, sem ter condições?
É como estar ali por estar, a montar vitrine, apenas. E nem isso.
Uma luta inglória.
A cumprir carnê?
Pois parece.
Nós, os torcedores, inveterados ou não, vamos a Alvalade.
Vamos sim. Só neste mês fomos três vezes.
E gritamos, pulamos, torcemos, rezamos, cantamos, fazemos tudo e mais um pouco. Até cruzamos os dedos, as mãos e as pernas, numa de fazer mandinga contra o possível gol do adversário.
Torno a dizer, a torcida esmera-se.
É verdade!
E o estádio tem estado cheio em todas as vezes.
Os adeptos estão comparecendo e não desanimam, batem palma até nos desatinos, tentando levantar a equipe.
Mas qual?
As vitórias passam mesmo ao lado.
Resta-nos saber o que se passa nos bastidores.
Talvez sabendo, conseguíssemos entender.
Desculpa lá, mas a intenção, por acaso, não é ganhar campeonatos?
Se é sim, é sim, se é não, é não. Tão simples como tudo isso.
Porque, honestamente, causa-me uma certa confusão. A mim e a toda a torcida sportinguista. E não só...

O que sei é que se não houver uma mudança drástica na postura como um todo, só lamento, Adiós tia Chica.

De resto, continuo a torcer pelo Sporting, fervorosamente.
E pensando em tornar-me sócia, com certeza, pois acho fundamental.
Prá podermos cobrar, temos que contribuir.

Allez, Sporting, Allez!

Desencantando...


Pois é, depois de uns diazitos, cá estamos.
É coisa que dá em tudo quanto é blogueiro.
Ausência de si mesmo, sem saber-se por que. E este por que (porque) é junto ou separado?
Nossa, ando desaprendendo o português do Brasil.
Já nem lembro as regras, que fiasco!
Ando meio despassarada.
Meio????????????

segunda-feira, agosto 17, 2009

Show de fogos no Parque das Nações

Estava lindo!
E havia montanhas de gente.
Uma noite de sábado super agradável.

sexta-feira, agosto 14, 2009

Fim de semana chegando e...

Vejo com alegria as fotos e comentários felizes do Júlio Prates no lançamento do seu livro " A Arte e Enganar o Povo", ontem à noite, em Santiago.
Parabéns, Júlio, muito sucesso e não esquece do meu livro, quero ler.
Abraço prá ti e prá Lizi!
.................................................
Ontem fomos ao Parque das Nações, para o happy hour. Bom encontro com a prima Maribel. Entardecer bonito, Tejo no seu melhor e ventinho fresco. É tudo o que se quer.

...................................................

O almoço ontem, na Abraço, foi Gazpacho meio à Alentejana, feito por mim.
Aprendi com a dona Graciete, mãe do Arsénio.
Faz parte da gastronomia espanhola, mais especificamente da região da Andaluzia, (o nome vem do árabe - Ghabs - que significa "pão molhado"), mas é muito consumido no Alentejo e no Algarve, aqui em Portugal, bem como em alguns países da América Central.
Acho que ficou bom, não sobrou...hehehehe...
Valha-nos isso!
As cobaias: Patrícia, Gina, Carlos, Sara e Samuel.
Eu?
Comi, claro, adoro gazpacho.
Acompanhamos com carapaus e douradas assadas na brasa, pelo seu Luís, ali do restaurante do Mercado do Rego.
Com o calorão que faz por aqui, apetece mesmo uma sopa gelada.
Se quiserem a receita, dou de toda a boa vontade.
Experimentem fazer. É fácil e rápido.



Gazpacho

Ingredientes: (para 8 pessoas)

8 tomates médios mais ou menos maduros (sem pele e sem sementes),três pepinos grandes (com casca), quatro dentes grandes de alho, 1 cebola média, 1/2 pimentão verde, 1/2 pimentão vermelho, sal a gosto, 3/4 de copo de azeite de oliva, 3/4 de copo de vinagre de vinho, um punhado bem aviado de orégano, 2 copos de água gelada e gelo em cubos.

Pão cortado em cubos.

Modo de fazer:

Picar tomates, pepinos, cebola e pimentões em pedacinhos muito pequeninos, minúsculos mesmo. Amassar o alho e picar. Misturar tudo numa terrina grande de vidro ou cerâmica. Temperar com azeite, vinagre, sal e orégano. Colocar dois copos de água gelada, mexer bem, apurar o tempero e levar à geladeira. Quase na hora de servir, colocar gelo picado por cima e mexer bem.

Ao servir, colocar o pão em cubinhos em um prato fundo (de sopa) e servir o gazpacho com a concha, por cima, até que o pão fique coberto.

Também é feito misturando-se todos os ingredientes no liquidificador, inclusive o pão. Fica como um creme espesso.

É uma delícia para dias quentes de verão. Aqui servem o gazpacho para acompanhar a sardinha, carapaus ou dourada (ou ainda outros peixes)assados no carvão. Eu gosto muito. Mas também adoro sem nenhum acompanhamento.

É super fresco.

O ideal é fazer de manhã para comer à tardinha ou, se for comer no almoço, preparar bem cedo e levar a gelar.

quarta-feira, agosto 12, 2009

Cat Stevens


Tô feliz, bem feliz.
Tá bem, sou meio atrasadinha, mas é que descobri anteontem que o Cat Stevens, hoje Yusuf Islam, e com 61 anos, lançou agora em maio de 2009, um novo cd: ROADSINGER.
Ando à cata.
Eu querooo...
E há outro, lançado em 2006: AN OTHER CUP.

Ué?

De repente, todos os blogs que eu seguia ou acompanhava sumiram do meu painel.
Nada, nadinha.
Não há mais nenhum.
Alguém aí sabe me dizer o que houve?

Umas palavras de carinho para o meu querido filho GABRIEL, que faz hoje 29 anos



video

terça-feira, agosto 11, 2009

No diário...a terça

Cá na terra onde um quartilho é meio litro e casca de pão é côdea, o dia hoje promete.
Calor.
Muito calor.
Ontem já foi complicado e para hoje a previsão é ainda mais quente: 33º no termômetro e sensação térmica muito maior. Num dos sites de previsões, há outro que fala em 37º.
Imagino que as bichas para as praias vão extrapolar durante o dia todo.
Hoje de manhã, na TV, uma moça lá na praia dizia:
- Cuido dos meus filhos, sim, neles coloco protetor 50.
A entrevistadora pergunta:
- E a senhora, usa qual?
- Nenhum.
Pois.
Prudência...nenhuma.
Um Deus nos acuda.
Para amanhã, 34º. Ou bem mais, quem sabe.
.........................................................

Enquanto isso, no Mercado do Rego...
Na banca da senhora loura das frutas havia umas cerejas espetaculares.
Não resisti.
Um bocadinho, só pros olhos, falei prá uma velhinha que estava ao meu lado, também esperando ser atendida.
Ela fez que sim, comentou qualquer coisa que não entendi e pediu trezentas gramas prá levar.
.........................................................

segunda-feira, agosto 10, 2009

Começando a semana...

Segunda sem muitas novidades.
Grande parte dos colegas da Abraço em férias.
Estamos em minoria, porém de qualidade, para que fique registrado.
Ok.
Posto isso, vamos organizando o que precisa ser organizado e adiantando o que está por acontecer, em termos de logística e outras providências.

........................................................
Julho e Agosto, cá em Portugal, são como Janeiro e Fevereiro, no Brasil.
Nada acontece.
Resta, então a praia.
Uns dias com vento, outros sem, a praia por aqui não tem nada a ver com as nossas. Água fria, sim senhora. E bem.
Quem fica e espera a volta dos colegas, na volta delicia-se com as histórias de férias, de praias e de viagens.
E estes vão chegando aos grupos, muito bronzeados e falantes, prontos prá nova empreitada.
Ou não.
Muitos com vontade de retroagir e voltar às férias, que sempre parecem curtas, em qualquer lugar do planeta.
..........................................................

O Mercado Público, aqui chamado Praça do Rego, também anda vazio.
Cafés fechados, os talhos, algumas frutarias, as salas de costura. De peixe, então, nem cheiro.
Hoje quando fui comprar o almoço no restaurante do Seu Luís e da Sheila, vi que a moça dos congelados jogava no corredor, com o filho pequeno, imitando os gritos das tenistas, a cada raquetada. E ria-se muito.
Na banca das frutas da senhora loura, as duas irmãs bem velhinhas, muito arrumadinhas e perfumadas, em seus chapeuzinhos, apertam, cheiram, apalpam. Por fim, provam as frutas e decidem comprar. Enquanto pagam, discursam sobre a crise e sobre os políticos.
Nem mais.
Não vejo a senhora da charcutaria, deve estar de férias também. Como o senhor dos frangos assados. Um dos talhos está sendo reformado, há lá um cartaz dizendo que retornam no dia um de setembro.
Escolhi bacalhau com grãos e batatas cozidas, tinham ótimo aspecto.

...............................................................

À tarde, saindo do trabalho, vamos até Moscavide para os caracóis, lá no café da Filha do Júlio dos Caracóis, no largo ao pé da igreja.
O Arsénio come, eu observo.
Desta vez o plim plim das conchinhas é mais rápido. Conversar, nem por isso, que os caracóis já vão em tempo de acabar a safra do ano. Pelo menos a safra boa.
Depois é esperar por eles até abril do ano que vem.
Peço um prego no pão e todos os clientes me olham como se eu estivesse cometendo um sacrilégio. Ou não olham, e é impressão minha...
Será?

.................................................................



domingo, agosto 09, 2009

A todos os pais do Brasil e do mundo.

Meu carinhoso abraço.
Sejam sempre e, acima de tudo, grandes amigos de seus filhos.
E como filhos, tenham sempre um profundo respeito e amor por seus pais.
Todos os dias do ano, em todos os momentos da sua vida.


Bem Hajam!

Ao meu querido pai, saudade eterna.

Domingueando...

O programa da manhã foi dar um bordejo pela Feira do Relógio.
Interessante aquilo, acho que já falei aqui.
É como se fosse um grande, imenso Camelódromo, misturado a uma feira normal de frutas e hortaliças. Vende-se de tudo.
Desde bananas, azeitonas, chouriços, pães, tremoços, até colchas, cortinados, roupas de marca sem ser de marca, relógios (é claro!) e eletrônicos.
Uma festa, uma algazarra, clima de gritaria e falação.´
- É tudo um ÉRO, tudo por um ÉRO, minha senhôra. Compra um, leva dois.
- Aqui é tudo produto nacional, não tem nada da China, freguêsa.
- Compra, compra, que já vai acabar.
Nem sei quantas quadras dá de feira. Mas são muitas, dos dois lados, um que vai e outro que vem.
Andamos e andamos.
Fico meio zonza, mas dou conta.
O Arsénio, só prá variar, engatou logo na primeira uma bifana dupla e, prá rematar, uma fartura toda açucarada. Êta gosto!
Antes disso não tem animação prás compras.
Eu olho e deixo quieto. Fritura de manhã, em jejum? Nem pense nisso!
Voltei da feira com três espigas de milho verde, com excelente aspecto.
Comemos ao almoço, assim, só cozidos em água e sal, como a gente fazia na infância e adolescência, depois de vir da praia, varado de fome, lá no Cassino.
O Arsénio desconfiado, não é hábito por aqui, nem sequer sabem como se faz. Mas comeu.

O dia tá meio pro esquisito. Nem frio, nem calor. Eu ainda com a minha tosse, mas sem febre ou qualquer outro sintoma de gripe porcina, sim senhora.
Moleza no corpo, mas é por ser domingo.
Ali fora há sol, mas há também um ventinho chatinho, meio assoviante. Não chega aos pés dos ventos uivantes de Santa Maria da Boca do Monte, mas dá um resquício de dor de cabeça.

No orkut, olho algumas fotos da festa do Rodrigo, ontem. Não no dele, no do Roberto Mendonça(Betera), amigo de infância dos guris, dos tempos de Santiago. Não há muitas, espero que haja mais, a curiosidade é grande por aqui.

Comemoração


Arsénio, Énio, Isa, eu e a Madalena.
Essa é prá ti, Rodrigo!

Com os amigos Énio, Isa e Madalena, em Lisboa.
Um brinde ao Rodrigão!



sexta-feira, agosto 07, 2009

Dedicado ao meu querido filho RODRIGO, no seu aniversário de 30 anos.


video

Válido prá sábado, dia 8 de agosto de 2009, e prá todos os dias da tua vida, filho.


Parabéns, Rodrigão!


FELIZ ANIVERSÁRIO!


Que cada etapa da tua vida seja ainda mais maravilhosa do que a outra.

quarta-feira, agosto 05, 2009

SPORTING

Quarta passada, há uma semana atrás, fomos até o Alvalade ver o Sporting jogar com o Twente, da Holanda, em partida válida pela Terceira Pré-eliminatória para a Liga dos Campeões da UEFA.
O clima era de festa, mas não se concretizou dentro do campo.
Há qualquer coisa ali que não bate como deve ser.
E o Mati Fernández ainda não conseguiu se fazer notar.
Um empate sem graça, sem alegria e sem cor, com direito a pênalti desperdiçado pelo meu ídolo Moutinho e outras coisas mais e más.
Mas fomos lá, vestidos a caráter, eu e o Arsénio.
E compramos até um fardamento completo pro Mano (o neto) na Loja Verde, com o nome gravado nas costas e tudo, bem faceiros, antes do jogo.

Mas torcedor que é torcedor não se mixa.

Dá-lhe Sporting!

Ontem jogaram de novo, desta vez lá na Holanda.
E por pouco, muito pouco, pouco mesmo, não eram desclassificados.
No último minuto, já nos descontos, o Rui Patrício, que é o goleiro, foi lá e enfiou a bola prá dentro da baliza, meio desajeitado e tal, mas valendo um gol.
Estamos apurados para a próxima etapa.
Valei-nos isso.
Ufa!


Camiseta número 9, em homenagem ao Yazalde, ídolo do gajo desde criancinha.


Eu, sem fazer homenagem a ninguém, no meu cantinho, chegando pra peleja.
Já mordendo o balão... e não era fome.
Rindo de engraçadinha, porque o jogo não valeu.
Sem comentários.
A torcida ao final assoviou, o que aqui quer dizer que não estão gostando da fruta ou o mesmo que dar uma sonora vaia, no Brasil.
Achei que também não era preciso tanto.
Mas que ficaram devendo, ficaram.
E nem na partida de ontem, na Holanda, pagaram.
Ainda estão por mostrar serviço.
Digo eu...que não entendo nada de futebol.
Mas tenho muita fé que dias melhores virão.
Tenho sim.
E por mais absurdo que pareça, ainda acredito que o Mati vai se "localizar" em campo e dar show.
Sei lá, intuição.
E também porque ninguém desaprende de jogar da noite pro dia.
A ver vamos...

Lauriedileuza Amélia


Oh...vida cruel...
Pois foi hoje o dia D.
E ainda nem fiz a metade.
Amanhã tem mais, com uma agravante gravíssima: Passar a ferro.
Sem comentários...
Quero morar na autocaravanaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!

segunda-feira, agosto 03, 2009

Exame de Proficiência em Língua Estrangeira

A Raquelzinha fez, para a Língua Inglesa.
E tirou um belo 10!
E a mãe aqui, toda faceira, babona.
Mãe pode.

Parabéns, filha!
Um abraço cheio de carinho, muito amor e orgulho bom que sinto dos meus filhotes.

A outra semana

A semana que passou foi bem corrida no trabalho.
Estamos andando com duas campanhas lá na Abraço, a da Recolha dos Cabos e a do Combate o Estigma

http://www.oquefazcomosseuscabos.pt/ (em construção) e http://www.combateoestigma.com/

http://www.abraco.org.pt/

e isso dá bastante o que fazer, além das atividades normais do dia a dia.



No dia 30 de julho foi o dia de Marrocos e como a Margarida Martins, nossa presidente, está trabalhando em um livro de fotografias sobre aquele país, a convite da Senhora Embaixadora de Marrocos, Madame Karima Benyaich, estivemos em um belíssimo jantar de comemoração, na Embaixada marroquina em Lisboa.

No dia 31 de julho, sexta-feira, houve a inauguração da Exposição de Fotografias da Margarida Martins, Ponte de Afectos, que acontece até o dia 28 de agosto, na Galeria da Abraço, no Poço do Borratém, Baixa lisboeta. Foram presenças marcantes a senhora embaixadora, Madame Karima Benyaich e membros da comunidade marroquina em Portugal.

Embaixadora Karima Benyaich, em foto prá mandar prá terra, como diz o Arsénio. Ela é assim mesmo, toda elegância e simpatia.

Fonte da Telha no fim de semana




E no domingo acordei com este visual bem à minha frente.
Da janela que fica junto da cama...espetáculo.





A quarta da direita prá esquerda, esta é a nossa. Dormimos mesmo à beira-mar. Êta coisa boa, bela casa de praia...



Dei umas boas pernadas atrás delas, que estavam sempre a mudar de lugar. É um ritual interessante, estão ali mesmo paradas, enfileiradas. A algum comando que não se percebe qual, levantam vôo e saem todas, em bando, prá pousar mais adiante. Foram umas duas horas atrás delas...hehehehehe...


A turma ao sol... e medindo a imperial, em metro. Uns bebericam, outros conversam. Primo Fabinho e o pappy Sérgio.

Cenas de praia numa manhã solarenga...


Eu também?
Sim, claro.
Não é, primo Dino?