segunda-feira, setembro 03, 2007

A Luísa, os Beatles de chumbo, a música e o Diogo Bonato...


Observadora atenta...


Dentre os brinquedos preferidos da Luísa, quando vem aqui em casa, em Santa Maria, estão os Beatles, feitos em chumbo, que trouxe de presente para o Gabriel, de uma das viagens ao nordeste.
Eles ficam ali, em cima de uma estante que ela alcança com facilidade. De uns tempos prá cá têm sido o seu alvo predileto.
Dia desses(como toda a avó é maluca e tem direitos de sê-lo, mas só com os netos) ensinei a ela o nome, as características de cada um (dos bonecos, claro!) e o instrumento que toca. Portanto,
John é o da guitarra amarela, tem cabelos loiros e usa óculos; o George tem cabelos pretos e toca a guitarra branca e preta; o Paul tem cabelos marrons e toca uma guitarra marrom e o Ringo, nem precisa dizer a cor dos cabelos, prá ela, toca bateria. Como ela já sabe muitas das cores e adora instrumentos musicais, ficou fácil. Daí tem aquela brincadeira, vou pedindo um a um, pelo nome e ela vai me entregando. Quando fica em dúvida, falo no instrumento ou nas cores, ela até hoje nunca errou nenhum. Depois faço o contrário, peço que ela vá me entregando o que ela escolher e diga os nome e o que ele toca, a cor dos cabelos e tal...dá tudo certinho. Mas não é tudo, o ensinamento completo ainda passa por ouvir a música deles e depois saber da trajetória...mas isso é com o tempo, ela só tem dois aninhos.
Não sei exatamente o que a atrai nesses bonecos, mas tenho prá mim que é por causa dos instrumentos e pelo tamanho deles, por serem miniaturas. Mas sinto que tem um gosto especial pela música. Nas festas está sempre pedindo prá gente levar prá ver a banda de perto, quando há música ao vivo.
Foram várias as situações, mas uma, em especial, me chamou a atenção.
No calçadão, em Santiago, a gente andava num sábado a passear no sol, a olhar vitrines, talvez comprando alguma coisa. A Luísa no meu colo. Havia música no ar e isso tinha passado quase batido. Foi quando ela me olhou, com aquela cara de entusiasmo e falou:
- O Diogo tá tocando, vovó Lolô!
Olhei para o lado de onde vinha a música e vi que realmente, do outro lado da rua, na loja da esquina estava lá o Diogo e o seu violão (era véspera do dia dos Pais e ele devia estar fazendo uma homenagem). Achei legal a idéia, interessante mesmo. Música ao vivo como vitrine e tal. Coisa bonita. Só depois é que fui pensar no fato de ela saber que era o Diogo. Claro que ela não descansou enquanto não atravessei a rua e fomos até a loja. Ela ficou olhando, muito interessada. O Diogo deu um sorriso e acenou com a mão. E foi prá ela.
Já em casa, explicaram-me a situação.
Numa festa de formatura que tinha acontecido há uns dias, o Diogo estava tocando. Como sempre, ela pediu que alguém a levasse prá ver a banda. Dessa vez foi o avô Idair, que deve ter dito que aquele era o Diogo. Ela gravou. E não esqueceu. Foi ouvir a voz e lembrou que era o Diogo. E, pelo jeito, virou fã.
Tomara que goste tanto de MPB quanto eu, que já ando guardando os meus discos prá ela ouvir depois.





Esse é o John, vovó Lolô!


2 comentários:

Júlio Garcia disse...

Olá, Heloisa! Tudo bem?
Hoje nos cruzamos em Porto Alegre, mal deu para nos cumprimentarmos... sempre correndo ... é a vida!
Parabéns pelo blog, está muito legal.
Abraço,
Júlio
http://jc-garcia.zip.net

Ruth Horie disse...

Helô, que coisinha linda a Luísa. E o olhar atento ... em que será que ela tá pensando? Será que ela pensa em tocar como eles?

Com certeza ela vai ser compositora ou algo assim!

Ah eu seria tão coruja como vc!

Beijos!